Confronto da Semana: Beatles x Rolling Stones

Dessa vez um duelo musical. As duas maiores bandas de todos os tempos. Ou pelo menos as mais famosas, caso os fãs de Led Zeppelin e Pink Floyd discordem sobre a afirmação anterior. Beatles x Rolling Stones.

Enfim, nesse caso não há personagens pra confrontar, então a disputa dos rounds será entre músicas das duas bandas. Então preparem-se. De um lado do ringue (escrevi umas 5 vezes “de um lado do Ringo sem querer”), John, Paul, George e Ringo. Do outro, Mick, Keith, Ron e Charlie (vamos deixar de fora o falecido e os dois que vazaram).

Os 12 rounds serão:

1º Round (Revoluções): Revolution x Street Fighting Man

2º Round (Dia da semana): Eight Days a Week x Ruby Tuesday

3º Round (Os quereres): I Want You (She’s so Heavy) x You can’t always get what you want

4º Round (Animais): Blackbird x Wild Horses

5º Round (O que eles querem da mulherada): I Want to Hold Your Hand x Let’s Spend the Night Together

6º Round (Cores): Yellow Submarine x Paint it Black

7º Round (Alguém viu alguma coisa?): I’ve Just Seen a Face x Anybody Seen My Baby?

8º Round (Entorpecentes): Lucy in the Sky With Diamonds x Brown Sugar

9º Round (Eles estavam drogados quando fizeram a letra): I am the Walrus x Jumping Jack Flash

10º Round (Ah, o amor): All My Loving x Love is Strong

11º Round (Mulheres): Michelle x Angie

12º Round (Um mega hit, pra fechar com estilo): Help! x (I Can Get No) Satisfaction

Vamos à luta!

1º Round (Revoluções): Revolution x Street Fighting Man

You say you want a revolution / Well you know / We all want to change the world”

” You’d better free your mind instead”

“Don’t you know it’s gonna be alright”

E no fim das contas, não é sobre isso que o rock se trata? Sobre ser rebelde, ser diferente, mudar o mundo? E os Beatles fazem isso com uma canção de puro rock’n’roll contagiante. Revolution está entre as melhores músicas dos 4 rapazes de Liverpool.

“Hey! Think the time is right for a palace revolution”

E assim os Stones se equivaleriam aos Beatles nesse round. Afinal, Street Fighting Man tem uma introdução ainda melhor que Revolution. O problema é quando chega o verso “Well, then what can a poor boy do/ Except to sing for a rock’n’roll band”.

E é justamente isso, né? O que ele pode fazer? Cantar numa banda de rock, mudar o mundo. É disso que o rock se trata. A canção fala como se fosse o caminho pela falta de opção e não por ser uma opção bacana por si só.

Então, entre os revolucionários do rock por vontade e os por circunstância, ganham os primeiros.

Beatles 1 x 0 Stones

2º Round (Dia da semana): Eight Days a Week x Ruby Tuesday

Não sei se vocês notaram, mas tentei alinhas os temas dos rounds pelos títulos das músicas. Se não fosse o caso, Lady Madonna estaria aqui (por causa dos váááários versos falando de cada um dos dias de semana) e a briga com Ruby Tuesday seria ainda melhor. Mas vamos manter as coisas como estão. Não que Eight Days a Week não seja legal. É maneiríssima. Mas convenhamos que, tirando algumas raríssimas exceções, tudo da fase boy band dos Beatles leva uma pequena desvantagem aos Stones.

A canção é bacaninha e a gente ouve balançando a cabeça feliz, mas além disso, o que ela tem? É mais rasa que um pires, só fala “como eu te amo”, “ah, eu te adoro”, “me ame também” e que 8 dias por semana não seriam o bastante pra amar a mulherzinha. Dá pra esperar mais que isso de Lennon e McCartney, né?

Já Ruby Tuesday, para mim, foge do estilinho dos Stones. Mas é incrível, belíssima.

“She would never say where she came from
Yesterday don’t matter if it’s gone
While the sun is bright
Or in the darkest night
No one knows
She comes and goes”

Melodicamente e na letra dá um banho em Eight Days. Se fosse contra Lady Madonna talvez também vencesse, mas por pouco. Mas aqui é vitória fácil.

Beatles 1 x 1 Stones

3º Round (Os quereres): I Want You (She’s so Heavy) x You can’t always get what you want

Melodicamente, I Want You é uma das melhores coisas que os Beatles já fizeram. O que é aquela guitarra? Ela dá todo o sentimento e força aos “I want you, I want you so bad / It’s driving me mad, it’s driving me mad.” O problema é que a letra é só isso. Só. Ok, tem alguns “She’s so… …heavyyyyyyyyyyyyyyyy” (arrepiantes, by the way) no meio, mas é só isso. Uma guitarra virtuosa. E mais nada.

You Can’t Always Get What You Want já é mais profunda que I Want You só no título. Melodicamente não tem a força da sua adversária, mas também é uma belíssima canção, chiclete. E com uma letra de verdade. E foda.

You can’t always get what you want / But if you try sometimes, yeah, you just might find you get what you need!”

Como o que vale é o conjunto letra + melodia, tem virada rôlinstônica.

Beatles 1 x 2 Stones

4º Round (Animais): Blackbird x Wild Horses

Um violãozinho suave com uma bela melodia, bem folk.

“Blackbird singing in the dead of the night
Take these broken wings and learn to fly
All your life
You were only waiting for this moment to arise.

Blackbird singing in the dead of the night
Take these sunken eyes and learn to see
All your life
You were only waiting for this moment to be free.

Blackbird fly, Blackbird fly
Into the light of the dark black night.”

Pronto, Beatles. Era isso que a gente tava pedindo. Um pouco de poesia. A letra pode até parecer meio rasa. Mas é como uma ode a todo mundo que precisa levantar a cabeça após alguma coisa e seguir em frente, aproveitar a oportunidade de se reerguer. Blackbird não está no meu Top 10 de Beatles. Talvez nem no Top 20. Mas é uma bela e simpática canção.

Mas que azar. Que azar. Porque Wild Horses está no meu Top 5 de Stones. Melancolia traduzida em acordes. Se Blackbird é sobre superação, Wild Horses é sobre o estágio anterior. A tristeza? Talvez não tristeza. Hum, é a entorpecência (não sei se tá escrito certo, me corrijam se preciso), o desespero, mas ainda com uma ponta de esperança de que a relação possa ainda viver. É linda.

” know I dreamed you a sin and a lie
I have my freedom but I don’t have much time
Faith has been broken tears must be cried
let’s do some living after we die
Wild Horses, couldn’t drag me away
Wild, wild horses, couldn’t drag me away

Wild Horses couldn’t drag me away
Wild, wild horses, we’ll ride them someday”

Beatles 1 x 3 Stones

5º Round (O que eles querem da mulherada): I Want to Hold Your Hand x Let’s Spend the Night Together

Já começa aquela introdução e todo mundo começa a sacudir. É só o John começar a cantar que todo mundo acompanha do “Oh yeah, I’ll tell you something, I think you’ll understand” até o refrão. I Want to Hold Your Hand é o maior hit da banda mais famosa da história. A responsável pelo maior fenômeno musical que o mundo já viu, a Beatlemania. E é uma música boa pra cacete. É ingênua, como tudo da fase inicial dos Beatles, mas é verdadeira, honesta. E nem de longe tão bobinha quanto Eight Days a Week.

É claro, os Stones são muito mais ousados nas chegadas na mulherada, já chamando para elas passarem a noite com eles em Let’s Spend The Night Together. Que é outra puta música. Com direito a um “babadaba badabadaba” chiclete e uma letra pra lá de provocativa (“I’m going red and my tounge’s getting tied / I’m off my head and my mouth’s getting dry”), ainda mais pra época (“This doesn’t happen to me ev’ry day, woman / No excuses offered anyway, woman / I’ll satisfy your every need / And now I know you’ll satisfy me”). Venceria fácil a maioria dos rounds desse negócio. E sem dúvida passar a noite junto é bem melhor que só segurar a mão.

Mas I Want To Hold Your Hand é imbatível.

Beatles 2 x 3 Stones.

6º Round (Cores): Yellow Submarine x Paint it Black

Yellow Submarine é um porre. Um saco. Uma das piores coisas que os Beatles já fizeram. Só é melhor que Ob-La-Di, Ob-La-Da. A seu favor, só o fato de ser extremamente chiclete e eventualmente servir pra encaixar gritos de torcida de futebol.

Paint it Black é foda. Sempre que vejo Nascido pra Matar eu me arrepio quando entra a introdução da música no fim do filme. É Stones na sua melhor forma, tanto em letra como música. Top 5 deles, fácil.

“I see a red door and I want it painted black
No colors anymore I want them to turn black
I see the girls walk by dressed in their summer clothes
I have to turn my head until my darkness goes”

Beatles 2 x 4 Stones

7º Round (Alguém viu alguma coisa?): I’ve Just Seen a Face x Anybody Seen My Baby?

I’ve Just Seen a Face tem uma levada de blues irressitível (apesar de começar com um violão meio chamando pro flamenco), e uma letra pra lá de bonitinha. É como se a gente tivesse vendo uma comédia romântica bacana, daquelas que tem a trilha sonora legal, uma garota que a gente gostaria de pegar (Kate Hudson talvez? Ela é bem rock’n’roll. Mas sei lá, tô imaginando pra essa cena a Rachel McAdams) e um protagonista que não é chato o suficiente para que queiramos socar sua cara (John Cusack talvez? Ele é meio velho pras que eu citei… só que os mais novos são todos uns palyboyzinhos irritantes que dão vontade de socar).

“I’ve just seen a face I can’t forget the time or place where we just met,
She’s just the girl for me and I want all the world to see we’ve met.
Mm mm

Had it been another day I might have looked the other ways and,
I’d have never been aware but as it is I’ll dream of her tonight.
Da da

Falling, yes I’m falling,
And she keeps calling me back again.

I have never known the like of this I’ve been alone and I have,
Missed things and kept out of sight for other girl we’re never quite like this.
Da da”

Anybody Seen My Baby é recente. Pelo menos pros padrões Beatles e Stones. E o baixo dela é maneiríssimo. Sei lá, eu imagino uns beatnicks estalando os dedos no ritmo da música. Não sei porque tenho essa imagem. A música é bem bacana, mas não dá pra comparar.

Beatles 3 x 4 Stones

8º Round (Entorpecentes): Lucy in the Sky With Diamonds x Brown Sugar

Lucy in the Sky with Diamonds. LSD.

“Picture yourself in a boat on a river
With tangerine trees and marmalade skies
Somebody calls you, you answer quite slowly
A girl with kaleidoscope eyes

Cellophane flowers of yellow and green
Towering over your head
Look for the girl with the sun in her eyes
And she’s gone

Follow her down to a bridge by a fountain
Where rocking horse people eat marshmallow pies
Everyone smiles as you drift past the flowers
That grow so incredibly high

Newspaper taxis appear on the shore
Waiting to take you away
Climb in the back with your head in the clouds
And you’re gone

Picture yourself on a train in a station
With plasticine porters with looking glass ties
Suddenly someone is there at the turnstile
The girl with kaleidoscope eyes”

Brown Sugar = heroína. E é roquenrol dos bons. Uma das músicas mais contagiantes dos Stones, altamente dançante e cantante (graças aos u-hus). Mas já que estamos na categoria entorpecentes, se deu mal. Lucy in the Sky with Diamonds é a própria viagem lisérgica, como vocês puderam ver na letra. E ainda tem uma melodia bem bacana também.

Beatles 4 x 4 Stones

9º Round (Eles estavam drogados quando fizeram a letra): I am the Walrus x Jumping Jack Flash

Antes eram as músicas com nomes de drogas. Agora são as músicas cujas letras foram escritas enquanto o pessoal tava doidão. Uma compilação das viagens.

I am the Walrus:

“See how they run like pigs from a gun
See how they fly
I’m crying

Sitting on a cornflake
Waiting for the van to come
Corporation tee shirt
Stupid bloody tuesday
Man, you’ve been a naughty boy
You let your face grow long

I am the eggman
They are the eggmen
I am the walrus
Goo goo g’joob”

Jumping Jack Flash:

“I was born in a crossfire hurricane,
And i howled at my ma in the driving rain.
But it`s all right, now, in fact it`s a gas.
But it`s all right, i`m jumping jack flash, it`s a gas, gas,gas!

I was raised by a toothless, bearded hag,
I was schooled with a strap right across my back.
But it`s all right, now, in fact it`s a gas.
But it`s all right, i`m jumping jack flash, it`s a gas, gas,gas!”

Ok, se ambas são igualmente viajantes, Jumping Jack Flash é muito mais empolgante, e a música perfeita para abrir um show. I am the Walrus é ótima, mas tem seus momentos certos…

Beatles 4 x 5 Stones

10º Round (Ah, o amor): All My Loving x Love is Strong

A música é a arte mais popular do mundo. E o amor é o sentimento mais retratado nela. O lado bom, o lado ruim (a perda) e toda a parte cinza entre um e outro.

Daria pra fazer uma lista de dezenas de músicas de ambas as músicas sobre o tema. Aí segui o critério de um outro round e mantive o foco nos nomes das músicas. Aí foi só fazer uma uma triagem.

All My Loving tá junto de I Want to Hold Your Hand entre as boas exceções da fase mela-cueca dos Beatles. É ingênua, mais sincera e cativante. E a letra é muito boa, apesar de simples. Inclusive a versão do filme Across the Universe conseguiu ficar ainda melhor (recomendo que procurem, quem canta é o Jim Sturgess). Pra contrabalançar, tem a versão brasileira do The Fevers (“Feche os olhos e sinta meu beeeeeeeeeeijinho agora”).

“Close your eyes and I’ll kiss you
Tomorrow I’ll miss you
Remember I’ll always be true
And then while I’m away
I’ll write home everyday
And I’ll send all my loving to you

I’ll pretend that I’m kissing
The lips I am missing
And hope that my dreams will come true
And then while I’m away
I’ll write home everyday
And I’ll send all my loving to you”

Uma canção que diz o que tem que dizer, sem inventar moda. Mas funciona. Uma declaração de amor numa despedida bem bonita.

Love is Strong tem suingue. Tem malícia. Se All My Loving é namorinho de portão, Love is Strong é sexo.

Mas Love is Strong seria mais música se em algum momento pegasse embalo pra valer. Ela sempre parece que vai engatar, mas não passa disso. Mas é bem legal sim. Só que nunca vai ser tão clássica quanto All My Loving.

Beatles 5 x 5 Stones

11º Round (Mulheres): Michelle x Angie

Michelle. Eleanor Rigby. Julia. São algumas das músicas dos Beatles com nomes femininos. Mas porque Michelle? Por ser uma declaração de amor, achei que ia combinar mais com Angie. Azar de Eleanor Rigby, que é um absurdo de boa e venceria com sobras. Se bem que é meio triste demais, né? Seria sacanagem colocá-la no round pra representar as mulheres. Enfim.

Michelle é bonitinha. Cuti. Fofa. Perfeita para uma serenata, se a garota entender inglês. E francês (“Michelle ma belle / These are words that go together well / My michelle / Michelle ma belle / Sont les mots qui vont tres bien ensemble / Tres bien ensemble”). Enfim, meio chatinha pra nós homens. Pra mim o que mata mesmo é o corinho do fundo. Acho que ela ficaria bem mais forte sem ele. Mas, enfim, é romântica pacas. As partes do “I need you, I need you, I neeeeeeeeeeeeeed you” são bem legais.

Mas mesmo assim não consegue carregar tanto sentimento quanto Angie. Angie é A balada dos Stones. E é boa demais.

“With no loving in our souls and no money in our coats
You can’t say we’re satisfied
But Angie, I still love you, Baby, everywhere I look I see your eyes
There ain’t a woman that comes close to you, come on baby, dry our eye”

Isso é verdadeiro. Isso também é romântico, sem ser do jeito old-fashion de Michelle. Isso é lindo.

Beatles 5 x 6 Stones

12º Round (Um mega hit, pra fechar com estilo): Help! x (I Can Get No) Satisfaction

Help! é chiclete. E a letra dela é mais melancólica do que parece. Só percebi isso quando ouvi a versão acústica do Noel Gallagher (que é foda). É um grito de ajuda mascarado num rock’n’rollzinho dançante bem legal.

Mas Satisfaction tem o riff de guitarra mais famoso do mundo do rock. E é puro rock, é a essência daquele período. Os excessos, as loucuras, nada era o bastante. O rock podia mudar o mundo? Então os roqueiros queriam o mundo. E mais.

Ok, Satisfaction na verdade não fala disso, e sim sobre um cara querendo se encontrar, se entender, e isso também diz muito sobre esse gênero musical que corre nas nossas veias como o sangue. Mas o paralelo com a vida de excessos também foi legal, admitam.

Enquanto em Help! o cara quer ajuda, em Satisfaction, ele só quer se encontrar e mais e mais e mais. E ele conseguiu. Pelo menos vencer o round (e o confronto).

Placar final: Beatles 5 x 7 Stones.

Vitória dos Rolling Stones.

O mais curioso desse resultado é que eu sou muito mais fã de Beatles que de Stones. Mas já que tinha que categorizar os rounds, Mick Jagger e cia deram sorte e não pegaram algumas pedreiras de Lennon e McCartney. E do George também (afinal Something e While My Guitar Gently Weeps esmagariam qualer round).

Enfim, semana que vem tem mais. Vocês podem sugerir confrontos nos comentários!

Anúncios

6 Responses to Confronto da Semana: Beatles x Rolling Stones

  1. Rafa disse:

    Hahaha….ah, eu gosto de algumas músicas da fase mais doida dos Beatles, como Yellow Submarine Concordo que não é das melhores deles, mas não chego a detestar.

    Gostei mais desse esquema de disputa com temas mais variados. =]

    Ademais, acho que você podia ter criado um round só pra por “Strawberry Fields Forever”, que eu acho foda. =P

  2. Eu adoro a fase doida dos Beatles. Meu problema com Yellow Submarine não é esse… é que ela é ruim mesmo.

    E Strawberry Fields Forever é fantástica mesmo. Um dos versos dela é o que eu considero o mais perfeito da história da música.

    O problema é que, qualquer que fosse a lista de 12 músicas que eu colocasse, faltariam umas 50.

  3. BURNIER disse:

    Aí vai a minha lista:

    1º Round (Revoluções): Revolution

    2º Round (Dia da semana): Eight Days a Week

    3º Round (Os quereres): I Want You (She’s so Heavy)

    4º Round (Animais): Blackbird

    5º Round (O que eles querem da mulherada): I Want to Hold Your Hand

    6º Round (Cores): Paint it Black

    7º Round (Alguém viu alguma coisa?): I’ve Just Seen a Face

    8º Round (Entorpecentes): Lucy in the Sky With Diamonds

    9º Round (Eles estavam drogados quando fizeram a letra): I am the Walrus

    10º Round (Ah, o amor): All My Loving

    11º Round (Mulheres): Michelle

    12º Round (Um mega hit, pra fechar com estilo): Help!

  4. Po, 11 a 1 tb é esculacho. hahuahuahu

  5. Juliana Peralta disse:

    Cara, adoro esse seus rounds. E esse, em especial, você arrasou!

  6. AlexoBeatle disse:

    Se fizer uma disputinha com os discos, más usando um critério justo: compará-los enquanto os Beatles existiam como banda. Se tivessem continuado até agora, estariam esmagando os stones ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: