Confronto da Semana: Disney x Looney Tunes

outubro 7, 2008

When you wish upon a star…
Um confronto vai rolar
E esses desenhos todos
Vão se digladiar

De um lado o Pernalonga
E do outro, sem delonga
Mickey vem pra lhe enfrentar
E o sangue vai…. jorrar.

Pluto é um filho da Pluta
Foi dito antes da luta
E alguém mandou o Piu-Piu
Pra puta que pariu.

.

Ao som de Nat King Cole e When You Wish Upon a Star, seu clássico que se tornou o grande hino dos sonhos infantis, começamos mais um Confronto do Vida Ordinária. E agora um que mexe com o passado e com o presente de nós todos.

Todo mundo cresceu com esses desenhos e se lembra de dezenas de momentos com eles. A nostalgia, a magia infantil. Tudo está de volta, mas agora em clima de porrada.

Os dois maiores universos de desenhos animados se enfrentam, em um confronto que promete ser… bem, animado.

Disney x Looney Tunes

Os 10 rounds serão:

1º Round (Latinos): Zé Carioca x Ligeirinho

2º Round (Insistentes e fãs de gadgets): Professor Pardal x Coiote

3º Round (Porcos): Leitão x Gaguinho

4º Round (Como cães e gatos): Pateta x Frajola

5º Round (Felpudos e marrons): Tico e Teco x Taz

6º Round (Terceira Idade): Tio Patinhas x Vovó

7º Round (Bichinhos de estimação): Pluto x Piu-Piu

8º Round (Grandes vilões): João Bafo-de-Onça e Mancha Negra x Hortelino Troca-Letras e Eufrazino Puxa-Briga

9º Round (Pagando o pato…): Pato Donald x Patolino

10º Round (Os ícones): Mickey Mouse x Pernalonga

Uma novidade é que o vencedor desse confronto está automaticamente classificado para uma nova disputa que vai acontecer em breve aqui. Mas vou deixar quieto por enquanto. Vamos pra luta:

Leia o resto deste post »


We Don’t Need Another Heroes

setembro 24, 2008

Essa semana Heroes voltou para sua terceira temporada. E provou que conseguiu se superar: aquilo que já era ruim, ficou ainda pior.

Se a segunda temporada foi mais curta por conta da greve dos roteiristas, os dois episódios que marcaram o lançamento desse novo volume mostram o que eu sempre suspeitei: que os roteiristas de Heroes, desde o começo da série, estão em greve. Ou pelo menos os cérebros deles estão.

Então, vou começar a falar spoilers. Então, se você ainda não viu os episódios novos, pode parar de ler aqui.

A terceira temporada com o Peter do futuro (aliás, pelas linhas temporais alteradas, esse deve ser o 5° Peter do futuro diferente, então não faz sentido que TODOS eles tenham uma cicatriz gigante) sendo perseguido pela Claire e voltando ao passado para evitar que a verdade sobre os poderes seja revelada e o mundo vire o caos que está daqui a 4 anos. E assim descobrimos que foi ele quem atirou no Nathan. Ok, até aí, tudo bem. Uma boa virada de trama.

E os acertos acabam por aí.

Agora o Parkman tá na África com um Isaac Mendez zulu e o Peter tá preso no corpo de um vilão (vamos a isso mais à frente). Enquanto isso, o Peter do futuro tá perambulando no presente no lugar do original.

Logo em seguida encontramos Sylar atacando Claire na California. Se vocês lembrarem bem, isso acontece apenas poucas horas depois dele injetar o sangue dela em Nova York e recuperar os poderes. Que nunca incluíram nada que o tornasse capaz de chegar lá em pouco tempo. Mas já que estamos falando de cronologia desajustada, é sacanagem eu citar esse caso, quando existem outros bem piores. Afinal, no mesmo dia em que Nathan leva o tiro, Nikki já aparece como assessora de um governador. Sendo que ela havia “morrido” no dia anterior. Pouco me importa a nova personalidade dela e vai ser ótimo se eu nunca mais precisar ver o Micah, mas peraí, ela precisaria de meses ou anos pra virar a amante conselheira do governador. Considerando que ela apresentou o poder de congelar, e não a superforça, é possível que não seja a Nikki e sim uma irmã gêmea ou coisa do tipo. Caso contrário, os gênios roteiristas preferiram ignorar a lógica, certo?

E isso numa série que, por tratar de um tema de fantasia, pode distorcer a lógica. Daí ser aceitável o Mohinder Suresh criar um soro pra dar poderes a todo mundo (depois de, pela enésima vez, abandonar a pesquisa de seu pai e mudar de idéia logo depois). O problema é que é óbvio, clichê e ruim. E o problema ainda maior é isso envolver o Suresh, o mais imbecil e pamonha personagem da TV mundial. É óbvio que ele injetou em si o soro e virou um cara exibido com sentidos aguçados que come a Maya (que continua chorona – será que ela é botafoguense?) e depois começa a sentir efeitos colaterais. Tomara que morra.

Outro que voltou foi o Linderman. Aliás, isso mata a credibilidade da série. Todo mundo volta da morte, mesmo que seja só pro Nathan, como foi o caso do Linderman. Um cara como Malcolm McDowell, que protagonizou Laranja Mecânica, não devia se sujeitar a fazer um papelão desses pra pagar as contas. Constrangedor.

Enfim, de um lado temos Nathan voltando pra política. Do outro, Sylar, agora invulnerável (ele consegue pegar o poder da Claire, que não morre e ainda ouve o vilão dizer que ela é diferente dos outros), vai à Companhia para roubar os poderes dos mais poderosos vilões encarcerados. Mata Bob (que tinha o poder de Midas, de tornar tudo ouro), mas acaba falhando num confronto contra a Elle (aliás, que vilão overpower é esse que apanha de todo mundo?) e é preso. Mas nesse meio tempo, esses super-vilões fogem (entre eles Peter, no corpo de um tal de Jesse), assim como o Bennet, que agora vai à caça desse povo (junto da Claire). Angela Petrelli (que tem o poderde sonhos premonitórios) é a nova cabeça da Companhia. E aparentemente pode ser que o Sylar seja filho dela e irmão dos manos Petrelli.

E por fim o Hiro, que deixa de ser o nerd carismático pra virar um imbecil que faz cagada atrás de cagada e mesmo com um poder foda leva trolha de uma velocista.

A temporada mal começou e começou mal.

Só não digo que foi uma decepção porque Heroes é tão mal-escrito que já não gera mais expectativas.


Confronto da Semana: Friends x Seinfeld

setembro 16, 2008

E os Confrontos do Vida Ordinária invadem mais uma vez o mundo da TV. Dessa vez, para pôr frente a frente as duas sitcoms mais populares (e minhas favoritas) dos anos 90: Friends x Seinfeld.

De um lado, os 6 amigos de Nova York que nós acompanhamos  desde o começo da vida adulta até estarem casados (em sua maioria), com filhos, etc. Do outro, os 4 amigos também de Nova York que simplesmente vão levando suas vidas numa grande série sobre o nada.

De um lado, a série mais pop e adorada, que cresceu com a gente e fez a minha adolescência e de muita gente que eu conheço. Do outro, a série de humor mais brilhante, mais genial da história. (ok ok, na minha opinião The Office está roubando esse posto deles, mas ainda assim…).

Que as claques comecem, porque é hora da briga!

Os 10 rounds serão:

1º Round (Vizinhos escrotos): Sr. Heckles x Newman

2º Round (Eram loucos por ela…): Gunther x Louco Joe Davola

3º Round (Sempre estavam ali, mas nunca vimos direito): Peladão feioso x George Steinbrenner (o dono dos Yankees)

4º Round (Os Escandalosos): Janice x Frank Costanza

5º Round (Elas não sabem o que querem): Rachel x Elaine

6º Round (Como entendê-los?): Phoebe x Kramer

7º Round (Paranóicos): Monica x George

8º Round (Mau Ator): Joey x Jerry

9º Round (Humorista): Chandler x Jerry

10º Round (Nerd): Ross x Jerry

Que comece o solo de contra-baixo ou o tema do The Rembrandts, porque está valendo!

Leia o resto deste post »


De volta a Beverly Hills

setembro 7, 2008

Acabou de estrear nos EUA a série 90210, que é nada mais nada menos que uma nova versão pra já clássica Barrados no Baile. E hoje assisti aos dois primeiros episódios.

De igual, o tema (dois irmãos chegam em Los Angeles do interior), o cenário (West Beverly High) e alguns personagens, como a Kelly e a Brenda, que de protagonistas da série original viram secundárias nessa, e Nat, o dono gente fina do Peach Pit, aquela lanchonete.

Devo dizer que, pelo menos até aqui, é só isso que as duas séries têm em comum. Não que a original fosse um primor de qualidade, pelo contrário. Mas o lado tosco e os roteiros ruins não deixavam de ser simpáticos e o todo tinha uma certa coerência. Não era boa, mas divertia.

Enquanto isso, 91210 parece estar tão perdida quanto sua nova protagonista afirma estar no começo do piloto (logo antes de entrar a abertura com a mesma música-tema do passado). O problema é que a série tenta passear entre o tom da série antiga e de séries mais recentes, só que acaba sendo uma grande bagunça boba.

O elenco dessa nova versão é ainda pior que o original (destaque negativo para o pai da dupla de protagonistas), os plots pareceram absurdamente corridos e forçados, e acho que o diretor andou assistindo Skins (veja o review do VO sobre Skins aqui) e resolveu imitar o estilo da série inglesa em alguns momentos. O lance é que ele não conseguiu.

Nem digo que a série não possa engrenar. A curiosidade do público e alguns links com a série antiga feitos justamente pros fãs (além de locais e personagens, tem pequenos toques, como a apresentadora do jornal da escola ter o sobrenome Zuckerman-Vasquez, o que indica que ela é filha da Andrea, por exemplo) devem garantir uma boa audiência pelo menos por enquanto.

Mas se quiser ter a longevidade da original (durou 10 anos!) vai ter que se decidir por um rumo. Mas por outro lado, é sempre bom ver Shannen Doherty e Jennie Garth na mesma tela (mesmo que não tenham mais seus 18 aninhos).


How you doin’?

setembro 6, 2008

Hoje me bateu uma saudade de Friends. Não dos episódios em si, já que eu tenho todos as temporadas aqui na minha estante, e, mesmo se não tivesse, tem a Warner com suas reprises ad eternum.

Mas sinto falta daquela expectativa de meses por uma temporada nova, depois de um season finale como o do I take you Rachel, por exemplo. Mais ou menos o que a gente vive hoje em dia com Lost. Eu sei que boa parte dos fãs de Friends atualmente foram criados justamente pelas reprises ou pelos DVDs, ou começaram a ver nas últimas (e menos inspiradas) temporadas, e por isso nunca viveram essa espera com a série, aquele gostinho de episódio novo. Mas sei lá, hoje me bateu essa saudade.

E pra isso, nada melhor que um rápido revival, com essa seleção de cenas em que o Joey manda seu clássico “How you doin’?”. Engraçado que, apesar de eu sempre ter achado ele bem engraçado, ele sempre foi, dos 3 caras, o que eu menos curtia, mas reparo que hoje em dia ele é o personagem mais popular da série (talvez porque deu uma guinada nas últimas temporadas, enquanto o Ross deu uma caída e o Chandler, que era disparado o mais engraçado, perdeu metade da graça depois de casar com a Monica). Mas vai lá, pra gente relembrar:

Se bobear algum dia desses faço outro revival de Friends com uma coisa que dá mais saudades ainda: a saiazinha xadrez da Rachel das primeiras temporadas.


VMB 2008: indicados e minhas torcidas

agosto 24, 2008

O barba, do Arte e Vício me convocou a continuar esse meme que ele iniciou.

Logo abaixo está a lista das bandas indicadas para o VMB 2008.

Seguindo a idéia dele, coloquei na cor vermelha o artista que eu espero que ganhe.

Artista do ano:
Cansei de Ser Sexy – Trama
Bonde do Rolê – Emi
Fresno – Arsenal/Universal
NxZero – Arsenal/Universal
Pitty – Deckdisc
Charlie Brown Jr – Emi
Cachorro Grande – Deckdisc
Mallu Magalhães – Agência de Música
Nando Reis – Universal
Vanessa da Mata – Sonybmg

Melhor artista internacional:
Amy Winehouse – Universal
Britney Spears – SonyBmg
Coldplay – Emi
Justice – Warner
Madonna – Warner
Paramore – Warner
Radiohead – Flamil
MGMT – Sonybmg
Katy Perry – Emi
Kanye West – Universal

Banda/Artista revelação:
Mallu Magalhães – Agência de Música
Strike – Deckdisc
Vanguart – Independente
Ponto de Equilíbrio – Warner
Roberta Sá – Universal

Comentário: Nessa coloquei duas porque fiquei realmente em dúvida. Ainda sou mais a Roberta Sá, mas ela não é bem uma revelação de agora, né?

Aposta MTV:
Turbo Trio – Yb Music
3 na Massa – Candeeiro/Instituto
China – Candeeiro Records
Garotas Suecas – Independente
Rosana Bronk’s – Cosa Nostra

Comentário: Não conheço nenhuma, mas se o Garotas Suecas for formado por garotas suecas, vai levar meu voto sempre.

Hit do ano:
NxZero – “Pela última vez” – Arsenal/Universal
Strike – “Paraíso proibido” – Deckdisc
Fresno – “Uma música” – Arsenal/Universal
Vanessa da Mata e Ben Harper – “Boa sorte/Good luck” – SonyBmg
Charlie Brown Jr – “Pontes indestrutíveis” – Emi

Comentário: Entre tanta coisa ruim vai essa mesma, embora tenha saturado…

Show do ano:
Cachorro Grande – Deckdisc
Mallu Magalhães – Agência de Música
Os Paralamas do Sucesso e Titãs – Emi
Pitty – Deckdisc
Zeca Pagodinho – Universal

Melhor videoclipe:
NxZero – “Pela última vez” – Diretores: Fabrizio Martinelli/Paulinho Caruso – Arsenal/Universal
Cachorro Grande – “Roda gigante” – Diretor: Ricardo Spencer – Deckdisc
Cansei de Ser Sexy – “Rat is dead” – Diretor: Nima Nourizadeh – Trama
Charlie Brown Jr – “Pontes indestrutíveis” – Diretores: Ludimilla Rossi/Matheus Ruas – Emi
Nação Zumbi – “Bossa nostra” – Diretor : Ricardo Carelli – Deckdisc
D2 – “Desabafo” – Diretor: Johnny Araújo – Emi
O Rappa – “Monstro invisível” – Diretores: Luciana Bezerra/Gustavo Melo – Warner
CPM22 – “Escolhas, provas e promessas” – Diretor: Rodrigo Lewkowicz – Arsenal/Universal
Bonde do Rolê – “Solta o frango” – Diretor: Barney Clay – Emi
Pitty – “De você” – Diretor : André Moraes – Deckdisc

Webhit do ano:
“As meninas de Inri Cristo”
“Dança do quadrado”
“MC Creu”
“A gaga de Ilhéus”
“A drag a gozar”


Porco e Feijões

julho 13, 2008

Em pleno Dia do Rock a Globo me apronta um dos momentos mais constrangedores do ano (e não, não tô falando da homenagem ao RPM no Faustão).

Tudo começou com uma matéria no Fantástico sobre Pork and Beans, do Weezer. Até aí tudo bem, estão atrasados, mas TV aberta, dá pra entender…

O problema é quando resolvem elocubrar sobre quem seriam as personalidades da internet brasileira que apareceriam se o clipe fosse feito aqui. Aí falaram da Ruth Lemos, do Guilherme Zaiden, dança do quadrado, a empregada que fala Iutubiu, etc.

Só que aí resolveram fazer uma versão tosca de Pork and Beans em português e botar o NX Zero pra tocar.

Sério, foi do nível do Surto tocando Californication em português no Rock in Rio 3*. Me fez entender porque eu não via Fantástico há anos.

Veja a matéria e o vídeo constrangedor AQUI.

*Para quem não teve o desprazer de ver ao vivo esse show do Surto, segue a letra da malfadada versão:

“Minha vida é uma desgraça
Eu vou lhe contar um trecho
Cai da bicicleta
E lasquei os ovos no eixo
(!!!)
E é tanta coisa ruim comigo,

Mas eu não me queixo

Eu fui, aparto a briga
E levei um murrão nos queixo
(!!!)
Entraram na minha casa
E roubaram meu Play Station
(!!!!!!!!!!!)
E é tanta coisa ruim comigo,

Mas eu não me queixo

Já lasquei a boca
Na queda de patinete
(!!!)
Semana passada
Bateram no meu Chevete
(!!!)

E o cara que amassou
Até hoje não pagou
É triste mas eu não me queixo
É triste mas eu não me queixo”